Blog

  • 10 Perguntas que você precisa saber a resposta sobre a Gripe H1N1.

    Publicado em 19-04-2016 | Para a mamãe

    Olá mamães, para quem ainda tem dúvidas ou quer entender um pouco mais sobre a Gripe H1N1, listei aqui 10 questões sobre o tema.

    Importante entender para ficarmos mais tranquilas na hora de levar nossos filhos para vacinar, ainda mais se você for como eu, sinto uma peninha , tanto que na maioria das vezes quem leva meu filho para vacinar é  meu marido ( o super pai ), nas palavras de meu filho!

    1- Que vírus é esse?

    O subtipo do ​​vírus influenza A H1N1 é resultado da combinação de segmentos genéticos do vírus da gripe aviária, do vírus da gripe suína e do vírus humano da gripe. Sua forma de transmissão se dá de uma pessoa para outra pelo contato com secreções respiratórias, partículas de saliva, tosse ou espirro. E, de acordo com o OMS, também é possível a transmissão pelo contato com superfícies contaminadas

    2 - Quais são os sintomas?

    Os sintomas são semelhantes aos da gripe comum, e se apresentam como febre repentina (acima de 38°C), dor de garganta, associado a dor de cabeça, dores musculares, dores nas articulações, coriza e falta de apetite. Sintomas respiratórios como tosse e piora da asma para asmáticos também são comuns. Algumas pessoas também podem apresentar diarreia e vômitos. É recomendado que os pacientes que apresentarem sintomas que envolvam secreções nasais, tosse ou espirro recebam máscara cirúrgica com o intuito de evitar a transmissão do vírus. Os adultos podem transmitir a doença no período de sete dias após o aparecimento dos sintomas. Nas crianças, este período vai de dois dias antes até 14 dias após aparecerem os sintomas.

    3 - Qual é o diagnóstico e tratamento?

    Para confirmar o diagnóstico de H1N1, é necessário realizar teste laboratorial específico. Já o tratamento é feito com uso de medicamento fosfato de Oseltamivir (Tamiflu) nas primeiras 48 horas após aparecerem os sintomas, com duração de cinco dias. Não há contra indicação de medicamentos para este tipo de gripe.

    4 - Qual a prevenção?

     A melhor forma de prevenir é recebendo a vacina contra a gripe H1N1. Porém, cuidados de higiene também são importantes, como:

    • Lave bem as mãos com água e sabão e utiliza álcool gel com frequência

    • Evite colocar as mãos nos olhos, boca e nariz após contato com superfícies

    • Não compartilhe objetos de uso pessoal

    • Cubra a boca e o nariz com lenço descartável ao tossir ou espirrar

    • Evite locais fechados e com muitas pessoas presentes

    • Evite beber água em bebedouros públicos. Utilize copo ou garrafa plástica de uso pessoal

    5 - O vírus da vacina está morto? Ela pode provocar a gripe A ( H1N1 )?

    A vacina é produzida por vírus inativados (vírus mortos e fracionados). Não existe, portanto, o risco de se adquirir gripe por meio da vacina.

    6- Qualquer pessoa pode tomar a vacina?

    Sim, desde que tenha mais de seis meses de idade e não haja contraindicação.

    7 - A vacina tem efeito imediato?

    A proteção começa a existir aproximadamente após duas semanas (15 dias) da administração, prolongando-se por cerca de um ano.

    8 - Existe algum efeito colateral?

    Os efeitos colaterais mais comuns são: dor local, febre baixa e mal-estar nas primeiras 48 horas após a aplicação.

    9 - Existe alguma precaução para se tomar a vacina?

    A principal contraindicação é alergia grave a ovo.

    10 - Quem está grávida pode tomar a vacina?

    Sim. Conforme orientação do Ministério da Saúde, publicada em nota técnica de Nº 05/2010, que descreve a estratégia de vacinação contra o vírus Influenza A (H1N1), as gestantes, por constituírem um grupo de alto risco para complicações graves, devem ser vacinadas, independente da sua idade gestacional. Recomenda-se aconselhamento prévio com o seu obstetra.

    Agora vamos vacinar com segurança e tranquilade, sabendo da importância em deixar nossos pequenos protegidos!

    A campanha nacional de vacinação está prevista para começar em 30 de abril.

    Até a próxima, mil beijos, Dai

    Fonte: Hospital Albert Einstein